Crescendo na graça e no conhecimento

Lições 4.o Trimestre 2013

Lições 4.o Trimestre 2013
Conselhos para a vida

Lição 1 - O Valor dos Bons Conselhos
Lição 2 - Advertências Contra o Adultério
Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
Lição 4 - Lidando de Forma Correta com o Dinheiro
Lição 5 - O Cuidado com Aquilo que Falamos
Lição 6 - O Exemplo Pessoal na Educação dos Filhos
Lição 7 - Contrapondo a Arrogância Com a Humildade
Lição 8 - A Mulher Virtuosa
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 10 - Cumprindo as Obrigações Diante de Deus
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 12 - Lança o teu Pão Sobre as Águas
Lição 13 - Tema a Deus em todo o Tempo

Comentarista:

José Gonçalves - Pastor, Professor de Teologia, Escritor e Vice-presidente da Comissão deApologética da CGADB; Comentarista das revistas de Escola Dominical da CPAD.

31 de maio de 2012

O GOVERNO DO ANTICRISTO


PARTE I - O PERFIL DO ANTICRISTO

A formação da palavra anticristo utiliza o prefixo grego anti – “contra” ou “em lugar de” e a palavra Cristo. O termo no sentido bíblico se refere a uma oposição ao Senhor Jesus Cristo.

Esta oposição na verdade foi deflagrada nos céus quando Lúcifer, o querubim ungido (Ezequiel 28.11-19), rebelou-se no céu contra Deus querendo tomar o lugar do Eterno, e de lá foi expulso juntamente com os seus anjos:

            "Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva do dia? Como foste cortado por terra, tu        que debilitavas as nações? E tu dizias no teus coração: Eu subirei ao céu, por cima das estrelas de       Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, da banda dos lados do Norte.        Subirei sobre as alturas das nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. E contudo derribado serás no            inferno, aos lados da cova. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão e dirão: É este o varão          que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundo como deserto e assolava as suas cidades? Que a seus presos não deixava soltos para suas casas?" Isaías 14:12-17.

Esta guerra foi evidenciada na Terra quando o inimigo agora se volta para seduzir e derrubar com o engano do pecado os filhos de Deus, Adão e Eva, que viviam em perfeita comunhão com Ele, abalada pela desobediência do casal levado pela astúcia de satanás. Não conseguindo vencer a Deus, o inimigo ataca aos homens. A herança do pecado, a morte, perpetuou-se assim em toda a humanidade.

Em seu plano da salvação, no entanto, Deus envia seu filho para resgatar o ser humano do império das trevas. Conforme constatamos através da mensagem profética que previu que  a semente da mulher – Jesus Cristo - viria para esmagar a cabeça da serpente – satanás – o adversário de Cristo. Gênesis 3.15.

A filósofa cristã Nancy Pearcey em sua obra Verdade Absoluta ressalta esta luta do bem contra o mal:

            O Inimigo foi fatalmente ferido; o resultado da guerra é certo; contudo, o território ocupado ainda não foi             desocupado. Hoje, há um período em que o povo de Deus é chamado para participar na batalha subsequente,             repelindo o Adversário e recuperando o território para Deus. Este é o período em que vivemos - entre a ressurreição de Cristo e a vitória final sobre o pecado e Satanás. Nossa chamada é aplicar à nossa vida e ao               nosso mundo a obra consumada de Cristo na cruz, sem esperar resultados perfeitos até que Ele venha.


Cristo, em Sua morte e ressurreição, cumpre o projeto do Pai reconciliando a humanidade com Deus. 2 Coríntios 5:19 e Efésios 2:16
A nossa luta maior é nos livrar das astutas ciladas do inimigo, bem como alcançar, com o poder do evangelho de Cristo, aqueles que estão sob a influência do mal.
A esta influência o apóstolo Paulo chama de o mistério da injustiça que já opera (2 Tessalonicenses 2:7). Um estado de espírito contrário às coisas de Deus que vem sendo exercido sobre as pessoas estão sob o domínio do maligno.

O apóstolo João em suas cartas e no próprio evangelho tinha uma preocupação fundamental: a tomada de posição apologética no combate às heresias que negavam a encarnação do verbo  de Deus, Jesus Cristo. A estes que se levantam contra Deus negando a Cristo, João os denomina de anticristos.

Conforme o teólogo J. Dwight Pentecost em sua obra Manual de Escatologia, a palavra anticristo aparece somente nas Epístolas de João. (l João 2.18,22,4.3 e 2 João 1:7).

Filhinhos, é já a última hora; e, como ouvistes que vem o anticristo, também agora muitos se têm feito anticristos, por onde conhecemos que é já a última hora. Saíram de nós, mas não eram de nós; porque, se fossem de nós, ficariam conosco; mas isto é para que se manifestasse que não são todos de nós. E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo. Não vos escrevi porque não soubésseis a verdade, mas porque a sabeis, e porque nenhuma mentira vem da verdade. Quem é o mentiroso, senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo esse mesmo que nega o Pai e o Filho. 1 João 2:18-22

E todo o espírito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus; mas este é o espírito do anticristo, do qual já ouvistes que há de vir, e eis que já está no mundo.
1 João 4:3

Porque já muitos enganadores entraram no mundo, os quais não confessam que Jesus Cristo veio em carne. Este tal é o enganador e o anticristo.
2 João 1:7

Dwight não considera o uso deste termo usado nas cartas joaninas como uma pessoa do futuro, mas todo aquele que negava à Cristo já à sua época, negando o Pai e o Filho. Porém acreditamos que o Anticristo  também se levantará contra o Cristo com base nos mesmo princípios e as mesmas motivações.    

Esta predisposição contra o Cristo já operava portanto desde os dias apostólicos e será alargada com o estabelecimento da figura do Anticristo, o homem do pecado, o filho da perdição, o iníquo, conforme vaticinou o apóstolo Paulo:

                Ninguém de maneira alguma vos engane; porque não será assim sem que antes venha a apostasia, e         se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição, O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que          se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo     parecer Deus. 2 Tessalonicenses 2:3-4

Assim comenta o teólogo pentecostal Stanley Horton em sua obra Teologia Sistemática – Uma Perspectiva Pentecostal::

            Paulo deixa subentendido que os últimos dias da presente era incluirão um aumento da revelação do        mal neste mundo, através do aparecimento do "iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua   boca e aniquilará pelo esplendor da sua vinda" (2 Ts 2.8). Essa figura do Anticristo comandará um    novo surto da iniquidade nos últimos tempos.

Esta corrente de pensamento de negação à Deus e seus valores, o espírito que agora opera nos filhos da desobediência, conforme escreveu o apóstolo Paulo (Efésios 2:2),  tem preparado o caminho para estabelecimento definitivo do governo do Anticristo, “o governante mundial blasfemo, que é fortalecido e habitado por satanás, e cujo falso profeta realiza falsos milagres (Ap 13.1-17)”

O Anticristo, portanto, e seu sistema de governo político-econômico-religioso, será estabelecido na Terra em um determinado período da história, com poder e autoridade consentida pela maioria dos homens, formando um governo hegemônico, sob a influência e domínio de satanás. Mas que será definitivamente derrotado pelo cordeiro de Deus,  Jesus Cristo.

Referências bibliográficas:


PEARCEY, Nancy. Verdade Absoluta: Libertando o cristianismo de seu cativeiro cultural, Tradução de Luis Aron de Macedo, 1ª edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2006.
HORTON, Stanley. Teologia Sistemática Pentecostal. 1ª edição. Rio de Janeiro: CPAD, 2009.
PENTECOST, J. Dwight. Manual de Escatologia. 5. ed. São Paulo: Editora Vida, 2006.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco


Se copiar algum texto, favor citar a fonte com o nome do autor e o link deste blog.