Crescendo na graça e no conhecimento

Lições 4.o Trimestre 2013

Lições 4.o Trimestre 2013
Conselhos para a vida

Lição 1 - O Valor dos Bons Conselhos
Lição 2 - Advertências Contra o Adultério
Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
Lição 4 - Lidando de Forma Correta com o Dinheiro
Lição 5 - O Cuidado com Aquilo que Falamos
Lição 6 - O Exemplo Pessoal na Educação dos Filhos
Lição 7 - Contrapondo a Arrogância Com a Humildade
Lição 8 - A Mulher Virtuosa
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 10 - Cumprindo as Obrigações Diante de Deus
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 12 - Lança o teu Pão Sobre as Águas
Lição 13 - Tema a Deus em todo o Tempo

Comentarista:

José Gonçalves - Pastor, Professor de Teologia, Escritor e Vice-presidente da Comissão deApologética da CGADB; Comentarista das revistas de Escola Dominical da CPAD.

18 de abril de 2010

O Lamento de Jesus Cristo


   Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que a ti são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste!
Eis aí, abandonada vos é a vossa casa. E eu vos digo que não me vereis até que venha o tempo em que digais: Bendito aquele que vem em nome do Senhor.  (Lucas 13.34 e 35)

Um certo pregador se deparou com uma galinha e sua ninhada no meio da estrada. A galinha de modo desafiador, não contou conversa, pôs-se toda armada preparada para enfrentar o inimigo de quatro rodas enquanto cacarejava forte, chamando seus pintainhos para se abrigarem debaixo de suas asas. Tomou uma atitude de líder em defesa dos seus em meio à crise.
Naturalmente os pintinhos correm para se abrigar sob as asas de amor; os homens, ao contrário nem sempre respondem positivamente a este chamado.

Jesus Cristo veio para o que era seu, (sua casa, no sentido original do grego), a exemplo da ave que amorosa e zelosamente quer abrigar seus pintinhos. Porém, renitentemente, os seus (seu povo), não o receberam, podendo aqui tratar-se este povo de toda a humanidade ou ao menos, do povo judeu.  (João 1.11)

Jesus lamenta não pelo fato de ter sido rejeitado, como se fora um pobre carente de reconhecimento e aceitação; Jesus chorou porque o seu próprio povo a quem havia prometido libertação, trocava o Messias por sua religião dogmática, tradicional, com zelo mas sem entendimento (Atos 22.3; Romanos 10.2).

A exemplo de Jeremias que previu a destruição de Jerusalém justamente porque o povo confiava em sua religião que tinha como maior expressão as edificações do Templo (Jeremias 4.6), Jesus profetizou a destruição do templo de Jerusalém ao notar o orgulho do povo com a sua suntuosidade, sentenciando que não ficaria pedra sobre pedra que não fosse derribada. E assim aconteceu no ano 70. d.C. (Mateus 24.1 e 2) 

Religiosidade que fala de Jesus, mas que não abriga o Seu Espírito nem seus ensinos, torna-se vazia sem sentido, uma casa deserta. O Senhor volta-se para os gentios. Mas não rejeitará para sempre o Seu povo, visto que se a queda dos judeus (Lucas 2.34) representou a salvação aos gentios, o que se dirá da Sua restauração ?Conforme interpreta o apóstolo Paulo: “o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado” (Romanos 11.25); O resultado é a ausência de Deus ate quando voltem a dizer:  Bendito aquele que vem em nome do Senhor. Assim os galhos cortados da videira voltarão a ser enxertados e assim “todo o Israel será salvo, como está escrito: Virá de Sião o Libertador, e desviará de Jacó as impiedades; e este será o meu pacto com eles, quando eu tirar os seus pecados”(Romanos 11.16 a 27).

Jesus em aflição chorou no Getsêmani pela dor dos nossos pecados. Jesus tomou o nosso lugar. Marcos 14.31 a 36.

Jesus chorou.

 Jesus chorou ao chegar ao túmulo de Lázaro.
Lembrei de um fato que ocorreu na minha Igreja. Ao final do Culto de Santa Ceia, tinha-se o costume, como normalmente se faz, de oportunizar aos membros na nave do templo de fazerem citações bíblicas. A igreja se alegrava. Em um determinado período um certo irmão talvez com um intenção jocosa citava sempre este versículo: Jesus chorou ! E seguidamente nos Cultos de Ceia recitava: Jesus chorou. Até que um dia o pastor da Igreja, ao escutar aquela citação - Jesus chorou! - , levanta-se e proclama:   - Jesus chorou por minha e por sua causa ! O irmão aprendeu sua lição e eu também: Jesus chorou por todos nós !

O lamento de Jesus expressa o amor de Deus pelo seu povo que se estendeu a nós que não éramos alvo das promessas e do concerto porém abriu-se.nos a porta da salvação, através de Cristo que assumiu o ônus da liderança em meio à crise espiritual da humanidade,  conforme a exultante conclusão de Paulo em forma de doxologia (adoração):

Quanto ao evangelho, eles na verdade, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais. Porque os dons e a vocação de Deus são irretratáveis.
Pois, assim como vós outrora fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia pela desobediência deles, assim também estes agora foram desobedientes, para também alcançarem misericórdia pela misericórdia a vós demonstrada.
Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, a fim de usar de misericórdia para com todos. Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor? ou quem se fez seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém. Romanos 28 a 36

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco


Se copiar algum texto, favor citar a fonte com o nome do autor e o link deste blog.