Crescendo na graça e no conhecimento

Lições 4.o Trimestre 2013

Lições 4.o Trimestre 2013
Conselhos para a vida

Lição 1 - O Valor dos Bons Conselhos
Lição 2 - Advertências Contra o Adultério
Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
Lição 4 - Lidando de Forma Correta com o Dinheiro
Lição 5 - O Cuidado com Aquilo que Falamos
Lição 6 - O Exemplo Pessoal na Educação dos Filhos
Lição 7 - Contrapondo a Arrogância Com a Humildade
Lição 8 - A Mulher Virtuosa
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 10 - Cumprindo as Obrigações Diante de Deus
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 12 - Lança o teu Pão Sobre as Águas
Lição 13 - Tema a Deus em todo o Tempo

Comentarista:

José Gonçalves - Pastor, Professor de Teologia, Escritor e Vice-presidente da Comissão deApologética da CGADB; Comentarista das revistas de Escola Dominical da CPAD.

19 de abril de 2010

Dos Blogs e suas Críticas

O uso dos blogs ocupa atualmente um espaço inigualável na expressão do pensamento. Todos que temos acesso à internet temos voz e vez. Ainda que seja difícil se fazer ouvir, ser acessado. Imagine uma pessoa em meio a uma multidão a sussurrar e a esperar ser ouvido. Mas mesmo assim, encontram-se segmentos de público que estão antenados ao tema escolhido pelo blogueiro.
Um destes segmentos trata da análise das práticas atuais das igrejas enquanto instituições. Membros e ministros com acuidade crítica postam análises da atual situação do movimento cristão de maneira a levantar necessidades em meio a uma enxurrada de novas práticas e modelos de administração, liturgia e doutrina. Vale lembrar que muitos formadores de opinião usam a internet para manipularem as pessoas e também para nós, cristãos, o canal mais relevante, o púlpito. Nele se fala em nome de Deus. E, a partir dele, ouvimos a mensagem do Senhor, mas também cada uma que vale cem !
Assim, na blogosfera não falta espaço para as críticas, muitas delas pertinentes e necessárias. Outras,pessoais e parciais. Queria me ater a esta última.
Nota-se claramente o aproveitar-se da liberdade para dar ocasião à carne. Aproveita-se para se falar mal de tudo e todos, do pastor ao porteiro; do pregador a criança que sai para tomar água; do projeto de reforma à irmã que ora com seu português mediano. Tudo se torna em oportunidade para se comentar.
Desabafos, amarguras revoltas contra o sistema, e até mesmo diferenças pessoais são tratados para todo mundo ver como se fora normal deixar de ir ao irmão e exortá-lo para fazer isso em uma postagem que, lembremos, jamais será apagada.
Deus lança no mar do esquecimento todos os nossos pecados e deles não se lembra mais. Aleluia! O deus Google, por sua vez, jamais. Postagens antigas de “1912”, mesmo que tenham sido apagadas ou corrigidas, permanecem nos caches ad eternum. Faz-nos lembrar da ilustração do falar mal (intencionalmente ou não, que fosse verdade ou não) comparada à pessoa que lança um saco de penas ao vento e que depois tem a dura tarefa de recolher uma a uma. Impossível. Assim as penas dos bits das memórias dos servidores jamais se apagarão. Então, preciso tomar cuidado em não me arvorar na condição de “profeta” da era digital e meter o pau em organizações, pastores, irmãos ou seja lá quem for. O papel, ou melhor, a tela vazia para postagem tudo aceita. Mas vale lembrar a advertência do Senhor Jesus Cristo: aquele que chamar alguém de tolo está sujeito a juízo.
Falhas temos todos. Profecias necessariamente precisam ser ministradas, mas no tempo e modo certo e cumprindo um propósito em acordo com a vontade de Deus. Se Deus o chamou para isso, dedos à obra; se não, que tal criar um novo blog? Quantos aos erros e acertos, todos estão registrados diante de Deus e um dia serão proclamados em cima do telhado. Ainda que o acusador aponte o dedo do Google, muitos de nós já estaremos lavados e remidos no sangue de Jesus. Amém !

2 comentários:

Anônimo disse...

Aprendi muito

Anônimo disse...

Ótimo post. Não posso esperar para ler as próximas:)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco


Se copiar algum texto, favor citar a fonte com o nome do autor e o link deste blog.