Crescendo na graça e no conhecimento

Lições 4.o Trimestre 2013

Lições 4.o Trimestre 2013
Conselhos para a vida

Lição 1 - O Valor dos Bons Conselhos
Lição 2 - Advertências Contra o Adultério
Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
Lição 4 - Lidando de Forma Correta com o Dinheiro
Lição 5 - O Cuidado com Aquilo que Falamos
Lição 6 - O Exemplo Pessoal na Educação dos Filhos
Lição 7 - Contrapondo a Arrogância Com a Humildade
Lição 8 - A Mulher Virtuosa
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 10 - Cumprindo as Obrigações Diante de Deus
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 12 - Lança o teu Pão Sobre as Águas
Lição 13 - Tema a Deus em todo o Tempo

Comentarista:

José Gonçalves - Pastor, Professor de Teologia, Escritor e Vice-presidente da Comissão deApologética da CGADB; Comentarista das revistas de Escola Dominical da CPAD.

19 de outubro de 2011

Conhecendo o adversário de nossas almas


Antes de enfrentar a batalha, a Igreja militante precisa identificar e conhecer seu verdadeiro inimigo: a antiga serpente, chamada o diabo e Satanás, que engana todo o mundo (Apocalipse 12:9), estando atenta às suas investidas, ciladas e modo de agir.
Esta inimizade começou nas regiões celestiais quando da rebelião frustrada de Lúcifer, então querubim ungido que quis usurpar o lugar de DEUS e a Ele ser semelhante. Ezequiel 28.14-19; Apocalipse 12.4.

Frustrado em seu intento, o inimigo deixa os céus e arregimentando os anjos rebeldes para investir contra agora contra a criação de DEUS – o homem, a feito imagem e semelhança de DEUS. Gênesis 1:26.

Enganado o casal pelo adversário no jardim do Éden, este passou a ser escravo do pecado (Genesis 3:13 a 15).

Mas Jesus, a verdade que liberta, veio a este mundo para esmagar a cabeça da serpente  e desfazer as obras do diabo (1 João 3:8), resgatando os homens do império das trevas cegou o entendimento dos incrédulos para que não lhes resplandeça a luz do evangelho de Cristo. 2 Coríntios 4:4.

Este adversário tentou de todas as formas conter o cumprimento do plano da salvação da humanidade através de Cristo, ferindo o calcanhar da semente da mulher quando da morte na cruz mas que foi vencida pelo poder esmagador do Cordeiro de DEUS. Gênesis 3:15.
Desde então esta guerra passou a ser nossa, e está declarada, a qual Paulo intitulou de bom combate. 2 Timóteo 4:7.

Para fazer frente aos ataques do inimigo nesta peleja se requer um posicionamento de sobriedade e vigilância, porque o adversário anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar. 1 Pedro 5:8.

Sobriedade fala de preservar o estado de lucidez em meio a um mundo encantador, sedutor, enganador e embriagador com todos os seus encantos passageiros do presente.

O consumismo, a prática do sexo ilícito, a busca pelo poder, o amor às riquezas, os valores morais invertidos, a pós-moderna cultura pagã e idólatra centrada no homem e até a religião sectária e dogmática embriagam a muitos. São apenas algumas das circunstâncias utilizadas das pelo inimigo para atrair e escravizar o homem.

A saída é cingir os lombos do entendimento, sendo sóbrios e a esperar inteiramente na graça que se ofereceu na revelação de Jesus Cristo. 1 Pedro 1:13.    

O entendimento e bom siso são concebidos através da sabedoria concedida por DEUS (Provérbios 1:1 a 5), gerado no crente o fruto do Espírito no aspecto da temperança que controla suas atitudes e reações. Gálatas 5:22.

O outro aspecto a ser observado no campo de batalha é a vigilância.  Devemos vigiar e orar, sempre. Mateus 26:41, Marcos 13:33, Lucas 21:36.

O serviço monótono da vigilância onde parece que nada acontece, permite-nos pensar que tudo está bem e assim relaxar um pouco, tirar um cochilo, e até dormir. A ausência de problemas no cotidiano parece mais motivo para negligenciar e baixar a guarda ao invés de se redobrar a vigilância. O inimigo por sua vez não desistiu.

Lembrando sempre que precisamos não subestimar ou sobreestimar o nosso adversário. Achando que ele é invencível pois a Bíblia nos mostra que devemos “resistir ao diabo firme na fé e ele fugirá de nós”. Nem tripudiar do adversário, como alguns que, por exemplo, brincam de entrevistar o inimigo. Fica a aqui a recomendação de  que diz:  o Senhor te repreenda. Mas confiar que em Cristo Jesus somos mais do que vencedora e assim o maligno não nos toca.

Já é chegada a hora portanto de nós, que já conhecemos e seguimos a Cristo há um bom tempo, despertarmos do sono; porque a nossa salvação está, agora, mais perto do que quando no princípio cremos. Romanos 13:11.

Não há lugar para o comodismo, como Paulo alertou aos Filipenses:

Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da soberana vocação de DEUS em Cristo Jesus. Filipenses 3.13 e 14

Assim, ao final da jornada, poderemos proclamar como o combatente atleta Paulo:

Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé. Já agora a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, reto juiz, me dará naquele Dia; e não somente a mim, mas também a todos quantos amam a sua vinda. 2 Timóteo 4.7 e 8.

Corroborando com a palavra do anônimo escritor aos Hebreus:

Corramos, portanto, com perseverança, a carreira espiritual que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da nossa fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de DEUS. Hebreus 12:2

Conservando-nos no amor de DEUS, alcançaremos o alvo, pois esta é a promessa que ele mesmo nos fez, a vida eterna. 1 João 2:25, cruzando assim a linha de chegada na carreira da fé, na confiança de que o Senhor Jesus Cristo já nos preparou um lugar na casa do Pai onde há muitas moradas. João 14.1 a 3.

Enquanto isso, “vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca.” Mateus 26:41. Vejamos pois o alerta de Paulo que trata do descuido no vigiar:

“Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.”  Efésios 5:14.

Imagine agora a cena de um soldado em pleno campo de batalhas, cansado após um combate onde vários companheiros morreram na trincheira, deita-se dentre os mortos no combate e adormece. Os adversários vão embora. Mais tarde chega uma tropa aliada para prestar apoio aos feridos. Alguns gemem, choram, contam o que se passou. Aquele soldado, no entanto, continua dormindo em meios aos mortos e não é identificado como sobrevivente da peleja. Os aliados vão embora, e ele ficou dormindo.

Alguns apesar de soldados de Cristo permanecem a dormir em meio aos mortos, as pessoas deste mundo praticando as suas práticas, vivendo como estes. Cansaram da peleja e agora descansam em meio aos mortos, que coisa! E quando o Senhor vier? Daí o brado do apóstolo.
É mister portanto seguir o exemplo de Paulo a exercer a boa milícia da fé e assim acabar a carreira guardando a fé (II Timóteo 4:7), em meio às lutas que a Igreja enfrenta e enfrentará ainda mais até alcançar a vitória final, ao chegar à pátria futura. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco


Se copiar algum texto, favor citar a fonte com o nome do autor e o link deste blog.