Crescendo na graça e no conhecimento

Lições 4.o Trimestre 2013

Lições 4.o Trimestre 2013
Conselhos para a vida

Lição 1 - O Valor dos Bons Conselhos
Lição 2 - Advertências Contra o Adultério
Lição 3 - Trabalho e Prosperidade
Lição 4 - Lidando de Forma Correta com o Dinheiro
Lição 5 - O Cuidado com Aquilo que Falamos
Lição 6 - O Exemplo Pessoal na Educação dos Filhos
Lição 7 - Contrapondo a Arrogância Com a Humildade
Lição 8 - A Mulher Virtuosa
Lição 9 - O Tempo para Todas as Coisas
Lição 10 - Cumprindo as Obrigações Diante de Deus
Lição 11 - A Ilusória Prosperidade dos Ímpios
Lição 12 - Lança o teu Pão Sobre as Águas
Lição 13 - Tema a Deus em todo o Tempo

Comentarista:

José Gonçalves - Pastor, Professor de Teologia, Escritor e Vice-presidente da Comissão deApologética da CGADB; Comentarista das revistas de Escola Dominical da CPAD.

2 de outubro de 2011

O LÍDER EM MOMENTO DE CRISES PESSOAIS


Não é o discípulo mais do que o seu mestre; mas todo o que for bem instruído será como o seu mestre. Por que vês o argueiro no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Ou como podes dizer a teu irmão: Irmão, deixa-me tirar o argueiro que está no teu olho, não vendo tu mesmo a trave que está no teu? Hipócrita! tira primeiro a trave do teu olho; e então verás bem para tirar o argueiro que está no olho de teu irmão. Lucas 6.40-42

Não é fácil ser líder. Em qualquer época, lugar ou circunstância. Principalmente um líder espiritual. São milhares de ouvintes a esperar uma mensagem de edificação, consolação, ajuda. Outros na expectativa para ver no que vai dar.

Para estar apto a ajudar a tirar o argueiro do olho de um irmão, o líder precisa, antes de tudo, auto-examinar-se a fim de que nenhuma trave venha a servir de empecilho para enxergar o real estado tanto pessoal quanto das ovelhas.  

Conforme o apóstolo  Paulo aconselhou a Timóteo, é preciso primeiramente ter cuidado de si mesmo e da doutrina. Cautela nunca fez mal a ninguém.

O pastor socorre a muitos em crise.
Mas, quando ele mesmo passa por crises, quem o socorre?

Primeiramente Deus. Em meio à oração, jejum, em meditação na Palavra. Na auto-análise onde busca sondar o coração e encontrar a causa raiz do problema:  O que será que está acontecendo?

O estresse e a enfermidade de hoje não teriam sido causados pelo excesso de atividades?

A minha preocupação com a concorrência desleal dos companheiros que usam técnicas agressivas de marketing em suas igrejas vizinhas e oferecem uma mensagem mais atraente para suas ovelhas que estão se evadindo?

Não seria por causa da minha falta de confiança na equipe construindo um ministério fraco, sem auto-estima, sem voz e sem vez para garantir a hegemonia da minha voz nas decisões?

Não seria por que nos meus dias de correria desenfreada não sobrou tempo algum para minha esposa e filhos durante anos e agora não suportam minha presença em casa?

Será porque me acho autosuficiente?

Não será por que deixei de orar e tomei todas as decisões baseado na minha intuição ou na confiança nos recursos intelectuais, materiais ou no rol das amizades na política?

Seria o apego ao cargo e suas benesses?

Não seria porque gosto de improvisar em tudo sem planejar nada e ainda dizer que o Espírito santo é quem me orienta mesmo sem consultá-lo?

Será porque o meu povo gosta mais de ver TV do que olhar para as coisas do céu?

Será porque adoro gravatas de seda italianas?

Ou será porque busco subir no ministério à qualquer custo?


Será porque faço distinção entre as ovelhas?

Será porque falo mais de futebol do que do evangelho?

Não seria porque dou liberdade demais nas brincadeiras com o sexo oposto para alimentar minha auto-imagem masculina e agora sofro tentações?

Não será porque confundi o tesouro da Igreja com os meus recursos pessoais e assim passo cheques da Igreja à torto e à direito em meu nome?

 Será por que minha igreja virou uma empresa?

Será porque tolero Jezabel?

Será que foi porque decidi construir um megatemplo para desbancar o da coirmã?

Será que porque eu decidi fundar meu próprio ministério para ficar livre da submissão à uma convenção?

Será que a minha vaidade cegou o meu entendimento a ponto de querer subir montanhas sem medir o custo para mim, minha família e minha Igreja?

Será porque deixei o primeiro amor?


Será por conta do meio desejo ufanista de ser um televangelista de sucesso?

Será que foi por que deixei de ler a Bíblia para falar a mim e não para os outros?

Ou será que entrei em crise porque não cedi a tentação de um grupo que quer romper com a convenção em troca das vantagens de outro ministério ching ling que gosta de pescar em aquário alheio?

Ou será porque desligo o celular quando estou em meus momentos de comunhão com minha família?

Ou quando digo não quando a maioria diz sim ao pecado?

Será porque prefiro andar em um carro popular com dez anos de uso quando os companheiros de ministério compram carrões importados ás custas do tesouro da Igreja?

Será que é porque costumo sempre visitar as ovelhas acompanhado da minha esposa?

Será que é porque acho que estou dirigindo na contramão quando todos mandam que eu volte e os acompanhe?

Será que é porque eu disciplinei um membro daquele grupo influente?


Será porque preguei que o crente também sofre?

Será porque resisto ao relativismo moral?

Será porque sou submisso a minha liderança?

Será porque gosto de orar e chorar ?


Será porque combato a licenciosidade?


Será porque não tenho prata nem ouro?


Será porque não neguei a minha fé?


Será porque não suporto homens maus?


Será porque coloquei à prova os falsos obreiros?


Será porque guardei a palavra com perseverança?

Será porque não esqueço de lembrar que Jesus está voltando?


Ou será porque não abro mão do ensino sistemático da doutrina do Senhor?

Será que está no tempo de me aposentar?

Deus sabe todas as coisas.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Entre em contato conosco


Se copiar algum texto, favor citar a fonte com o nome do autor e o link deste blog.